Astrologia

Tamanho da letra

Ponderações sobre Nibiru


Eis aqui, em tradução livre, um e-mail que enviei recentemente a respeito de Nibiru e assuntos correlatos, respondendo a uma consulta de um astrólogo colega de uma lista especializada, sobre se o evento de Tunguska em 1908 tinha ou não qualquer relação com o 10º Planeta:


“Não acho que o evento de Tunguska tenha sido causado por Nibiru. De acordo com as antigas descrições relatadas por Sitchin, bem como de outras fontes antigas potenciais de informação a respeito desse misterioso planeta, ele é consideravelmente maior que o nosso, umas quatro ou mais vezes. Em colisão anterior com o nosso planeta, teria causado o deslocamento do planeta original Tiamat de sua órbita, espalhando destroços que hoje seriam o cinturão entre Marte e Júpiter, e arrancando um bom pedaço que se tornaria o nosso satélite, a Lua”.


As primeiras noticias "oficiais" sobre Nibiru foram dadas por R. S. Harrington do Observatório Naval dos EUA em princípios de 1988, e em Outubro do mesmo ano por duas equipes de astrônomos, uma da Inglaterra e outra da Universidade da Louisiana em Lafayette. Existe um considerável projeto de "Defesa Planetária" desde 1979, comandado pelo Major Lindley Johnston a partir do Observatório Solar de Learnmonth na Austrália Ocidental. Este projeto é administrado "conjuntamente" pelos governos dos EUA e da Austrália. Apesar de ostensivamente atuar como um observatório de patrulhamento em tempo real do tempo (clima) no espaço, seus objetivos específicos estão definidos como sendo:

1. Reconhecimento de ameaças ou riscos de impacto cósmico
2. Observação para detecção de ameaças específicas
3. Deflexão ou interceptação de tais ameaças

Este projeto é pouco conhecido e todas as suas descobertas são sob constante secretismo. Entre os diferentes e diversos ramais militares e especializados especialmente dos EUA, este projeto é conhecido como WORMWOOD. Esta palavra é encontrada na bíblia como uma misteriosa referência que só pode ser considerada em linguagem moderna como uma referência a visitas extraterrestres no passado (ou futuro).


A escolha desse observatório está baseada na crença comum relatada nos livros de Sitchin de que Nibiru, ou o Décimo Planeta, ou o Planeta Errante (seja qual for o nome que se prefira dar), se tornará visível primeiro no hemisfério Sul, vindo de um determinado alinhamento envolvendo um eixo formado pelo Sol-Terra-Sagitário-Centro Galáctico hipotético, previsto para Dezembro de 2012... e se "descortinará" como uma presença inegável de trás de Júpiter...


Há também um observatório particular, o de Norcape, 36 kms ao norte de Learnmonth, em Exmouth, que também se dedica ao interesse específico em observar ocultações de estrelas por asteróides e a medição de estrelas variáveis, mas que foi "persuadido" a acrescentar seus resultados ao projeto Wormwood.

"E o terceiro anjo tocou a sua trombeta, / e caiu do céu uma grande estrela, ardendo como uma tocha, / e ela caiu sobre um terço dos rios e / sobre as fontes de águas. / E o nome da estrela chama-se Absinto (*)


E um terço das águas transformou-se em Absinto, / e muitos dos homens morreram / por causa das águas porque / foram tornadas amargas."
Revelações 8:10-11

(*) No original usado em inglês o nome Absinto é Wormwood. E por causa dessa tradução da Watch Tower, também o nome de Absinto se aplica a Nibiru.

Sabe-se muito mais e sou freqüentemente bombardeado por perguntas do tipo: ' Como um corpo tão grande possa ainda estar invisível ou sua presença estar sendo negada pelas fontes "oficiais" '. Não tenho mais respostas do que Rob Solarion, da lista Crossover Doomsday, que pesquisa esse assunto há muito mais tempo e até escreveu um livro sobre o mesmo. Somos deixados a deriva em considerações hipotéticas do tema porque este assunto se tornou uma das histórias de capa e espada mais intrigantes dos nossos tempos. Mas há indicadores demais daqui e dali que não deixam dúvidas em nossas especulações sobre a existência de Nibiru ser muito mais que mera fantasia.


No programa Guerra nas Estrelas de Reagan, as naves foram pesadamente armadas e colocadas no espaço, incluindo canhões de raios laser de longo alcance para destruir algo que alegadamente é para desviar asteróides que estejam em rotas de colisão com o nosso planeta. O HAARP (Programa de Pesquisa da Alta Freqüência de Auroral Ativa), originalmente pretendido como um campo magnético protetor, agora se transformou em perigosa arma que pode causar terremotos e tsunamis e desorientar populações inteiras. Mísseis atômicos foram enviados para explodir na superfície ou nas atmosferas de outros astros como o que foi provavelmente o causador do desaparecimento da mancha vermelha menor de Júpiter (?). E há um lançamento previsto para fazer o mesmo em Saturno.


A busca de um paraíso terraforme em um dos planetas do sistema (e eu pessoalmente acho que Marte é uma péssima escolha) e muitas outras coisas que vem se tornando pública através de vazamentos e informações aparentemente desconjuntadas, colaboram para suspeitarmos da existência de Nibiru.


Eu incluiria nesse rol a intenção muito persistente dos EUA em dominar toda a região Afeganistão-Iraque-Irã (antiga Suméria, onde todas as provas sobre as visitas passadas de Nibiru foram encontradas e ainda há outras ocultas). E para onde se espera que os Annunaki voltem? Pois foi ali que teriam mantido sua base. Será realmente o petróleo a causa? Teria sido este o ouro que os Annunaki minavam do nosso planeta e para encherem seus reservatórios, teriam criado uma espécie "inteligente" para fazê-lo para eles? (Risos). Tenho que rir sempre que me refiro à nossa espécie como "inteligente".


E a nossa profissão predileta de astrólogos é outro fato. (Este texto foi enviado por email principalmente para uma comunidade internacional de astrólogos pesquisadores.) Como poderia o homem "primitivo” saber tanto sobre a configuração do nosso sistema planetário há pelo menos 30 mil anos? Até os registros das efemérides planetárias encontradas em tabuletas cerâmicas dos sumérios datadas de seis mil anos atrás são tão precisas que os cálculos mais recentes da NASA tiveram que ser ajustados por elas e não o inverso.


Além do mais, nesses registros, nosso planeta não era o terceiro, mas sim o sétimo. E se contarmos de Plutão para o Sol, é esta a posição exata. Como poderiam os antigos saber disso se Urano e o espaço, além dele, só foram descobertos a meros 200 anos?


Eu poderia continuar interminavelmente por este caminho. E em todos os argumentos se encontrarão falhas, pois "não existem provas científicas" para nada disso... (gargalhada). Como se nossos cientistas fossem deuses onicientes. Dos relatos e relatórios científicos cotidianos, torna-se óbvio que eles saibam menos hoje do que pensavam saber há 200 anos. Por que isso? Porque antes de se tornarem "cientistas" no sentido moderno, os pensadores do passado baseavam-se em um conhecimento que vinha de dentro do que Jung chamou de inconsciente coletivo e que os esoteristas chamam de memórias akássicas, enquanto que os cientistas modernos formulam suas teorias, as projetam pelo computador e querem por força que o universo se encaixe nelas como sendo o que eles acham lógico e não como o que realmente seja.


O próprio fato da travessia de Nibiru ocorrer a cada 3600 anos de acordo com os antigos Sumérios coloca este tema para além da memória da humanidade moderna. E os dogmas com os quais vimos sendo endoutrinados durante os últimos dois mil anos sempre pretenderam apagar quaisquer memórias desse tipo e nos condicionar com uma estúpida vaidade de que sejamos a criação especial e única em todo o vasto universo por um deus antropomórfico (moldado à nossa imagem diga-se...).


Do modo como eu vejo isso, o mundo como nós o conhecemos corre um sério risco de "parar" em dezembro de 2012, e passar por uma completa reforma. E apesar de que intimamente espero que minhas especulações sejam malucas e errôneas, se não forem, espero ainda estar vivo para testemunhar as coisas acontecerem ou não. *Mas minha curiosidade não é suficiente na busca de respostas que eu sozinho provavelmente jamais as encontrarei, porque isso tudo é maior do que uma única mente e é sério demais para ser preservado dentro de tais limites.


Acredito que o manto de secretividade será levantado entre agora e junho do próximo ano porque a presença desse visitante enorme, errante ou não, se tornará inegável nesse período. É uma pena que apesar de uma estimativa cronológica penosamente estabelecida, não possuímos nenhuma efeméride da órbita dele nem mesmo aproximadamente. Mas talvez possamos vir a encontrar algum "buraco" nas configurações celestiais vindouras que possa corresponder a um tal evento potencial.

Não podemos realmente considerá-lo como uma ameaça ou como um benefício. Estarão os nossos ancestrais e criadores voltando mesmo? E para quê? Será que eles ficarão desapontados ao verem como mal usamos o legado que nos conferiram? E por isso virão a nos destruir? Ou acontecerão catástrofes geológicas que acabarão com a grande maioria de nós? Será que a travessia deles virá a mudar a face da Terra como já o fez em tempos idos? Ou nos fará finalmente descobrir verdades que foram ocultadas em antigos mitos e depois transformadas em dogmas condicionantes?


Por que a astrologia foi sempre rejeitada pelas correntes aceitas de conhecimento ao longo da história registrada? Terá sido porque ela sozinha retinha a verdade e, portanto tinha que ser denegrida e rejeitada? Então por que permaneceu no subconsciente de todas as raças? Por que os "pais das religiões" foram os maiores astrólogos de seus tempos?


Por que o próprio Vaticano patrocina um imenso Observatório no hemisfério sul do planeta? O que estará procurando? O que eles tem escondido de nós e agora temem que seja descoberto? Há milhões de perguntas que podem ser feitas e somente as nossas especulações e crenças pessoais podem fornecer respostas de bom senso, porque todas as "fontes" formais ou ortodoxas (outro erro de patronímia proposital?) negam por excesso de hubris, senão por total ignorância da verdade. O fato de que as negativas são tão veementes deveria já nos alertar. Por que negar algo que não existe? E por que criar medidas de defesa contra algo que não existe?


Chega. Convido que pulverizem minhas idéias e argumentos a respeito deste assunto, na esperança de que provem que estou tão somente maluco e preciso ser preso em uma camisa de força em uma cela acolchoada jogando-se fora sua chave. Mas não se esqueçam que há um número crescente de pessoas que precisarão ser trancadas comigo... (risos)


Afinal, quem sabe a humanidade não está num caminho de extinção, seja por seus próprios desmandos ou por agência de extraterrestres.


Eu nem vou me deter em perguntar se ela merece sobreviver ou não...


Bem. Soltei bastante fogo. Apesar de haver muito mais, penso que devemos olhar mais fundo e até começar a especular sobre como isso pode afetar ou ser "previsto" em nossas projeções astrológicas para os anos vindouros. 29 anos atrás eu seria o primeiro a negar tudo isso, incluindo a própria astrologia como ciência e mãe de todas as ciências. O que será que aconteceu para inverter meu paradigma de um pólo ao outro?


 Estou desgastado e esgotado (risos). Onde está a luz do fim deste túnel? Onde está o fim do túnel. Divirtam-se!





Texto de: Bóris Artemenko - Astrólogo - Jornal O Legado - Agosto 2008


© É proibida a reprodução, cópia, republicação, redistribuição e armazenamento por qualquer meio, total ou parcial © Copyright 1992 a 2018
-------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As informações relacionadas à saúde, contidas em nossos sites, tem caráter informativo, cultural e educacional. O seu conteúdo não deverá ser utilizado para autodiagnóstico, autotratamento e automedicação. Nossos conteúdos são formados por autores independentes e assessorias de imprensa, responsáveis pela origem, qualidade e comprometimento com a verdade da informação. Consulte sempre um profissional de saúde para seus diagnósticos e tratamentos ou consulte um profissional técnico antes de comprar qualquer produto para sua empresa.
----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
As informações publicadas, nos sites/portais, são de responsabilidade de seus autores e não refletem necessariamente a opinião da
 
IAOL - Integração Ativa On-Line Editora Ltda. (11) 4411-6380
Artigos Relacionados
:.
:.
:.
:.
:.
Comentários