Prof. Carlos Rosa

Tamanho da letra

O “fim dos tempos”

 

Este mês eu ia falar de dinheiro, mas em vista do acontecido no programa do senhor Gilberto Barros no dia 5 de setembro, resolvi mudar completamente o meu artigo. Prometo que falarei de dinheiro no próximo mês.
O que aconteceu no programa? Bem se você amiga ou amigo leitor não o viu, eu vou tentar reproduzir o mais fielmente possível o que foi por milhares de pessoas presenciado.
A produção do programa entrevistou o senhor Michael Drosnin, autor dos livros; “O Código da Bíblia” e o “Código da Bíblia II”, onde entre assuntos controversos, delicados e comprovados, fala que e 2006 será o “fim dos tempos”.
Bem, o caso não seria tão marcante, se não fosse pelos participantes: dois rabinos, sendo um ortodoxo e outro versado em numerologia, um matemático, um teólogo e um pastor evangélico. Até aí, nada demais. O fato principal foi que a direção do programa colocou no ar uma pergunta que deveria ser respondida com SIM ou NÃO. A pergunta? VOCÊ ACREDITA QUE O MUNDO VAI ACABAR EM 2006? SIM OU NÃO!
Pasmem, meus amigos e minhas amigas; depois de mais de três horas de programa, onde as alternâncias se sucederam, o final apontou 53% para NÃO, e 47% para SIM, o que caracteriza um “empate técnico”.
Observem que quase a metade dos telespectadores ACREDITA que o mundo vai acabar e isso é muito, muito perigoso. Se não, vejamos: Se o mundo vai acabar, por que eu vou ter de pagar as minhas dívidas? Por que vou ter de comprar remédios caros, se vou morrer mesmo? Por que não “sacanear” o patrão? Por que não começar a aprontar e a fazer tudo que me der na cabeça? Por que vou ter de freqüentar o dentista e tratar o meu canal? Compreenderam? Tenho certeza que sim, pois os leitores deste jornal são normalmente inteligentes.
A realidade? A realidade, caro leitor, é que o “final dos tempos” a que se refere o autor, nada mais é do que o “final do ciclo” de 25.920 anos, que é o tempo que o Sol leva para percorrer os doze signos do Zodíaco. Um outro fato de fundamental importância, é que em 2006 um outro planeta deve penetrar no nosso sistema, fato que acontece a cada 3.600 anos e que coincide com o final do ciclo.
Isso pode nos deixar preocupados? Façamos uma conta bem fácil: se dermos à Terra a idade de 360.000.000 (trezentos e sessenta milhões de anos), e dividirmos esses anos por 3.600, temos que o tal planeta que prefiro chamar de Marduk (também pode ser chamado de Nibiru ou Hercólubus) já passou pelo nosso sistema umas 100.000 (cem mil) vezes e a Terra não foi destruída. Por que o seria agora?
Claro, algumas anomalias deverão acontecer e já estão acontecendo, como a mudança de temperatura e de características climáticas em todos os pontos da Terra, alteração do seu eixo, e outros que com certeza acontecerão, mas que não podemos prever, já que tal planeta é aproximadamente nove vezes o tamanho do planeta Júpiter.
Mas o mais importante foi os depoimentos de alguns dos participantes, pois enquanto o rabino numerólogo tentava mostrar a veracidade do “código da Bíblia”, os demais, completamente ignorantes no assunto, desdenhavam e até faziam chacota com fato de tão grande importância.
Mas mais extraordinário, foi quando o rabino ortodoxo e o pastor entraram em concordância quanto ao fato de Deus vir periodicamente à Terra e instruir alguns seres privilegiados, como Moisés e Abraão, por exemplo.
É cabível se perguntar: De onde vem Deus? Será que vem do “céu”? E depois que ele “orienta” essas pessoas, para onde se dirige? Como eles (o rabino e o pastor) sabem disso? Leram na Bíblia? Na Bíblia não é possível, pois lá não está escrito nada disso.
Em nenhum momento do programa se aventou ou se manifestou qualquer alusão a extraterrestres, a seres espaciais ou a qualquer fato que não fosse de cunho religioso.
Eu li os dois livros e posso lhes dizer que contém a mais pura verdade. A Bíblia, ou melhor, os cinco primeiros livros que compõem a Tora dos judeus ou o Pentateuco dos cristãos, é um código de computador dos mais avançados, e os seres que os escreveram são tremendamente mais evoluídos que nós.
Mas aí, vocês podem dizer: e onde entra Deus nisso tudo? Não foi Ele que escreveu a Bíblia ou no mínimo inspirou os seus autores, ou ditou-lhes as Escrituras?
Bem, eu não sei qual é a sua concepção de Deus. A minha é a de que Deus é uma energia cósmica Universal que está contida em tudo e em todos, ou como definiu Erich Von Däniken, autor de diversos livros, entre eles o famoso “Eram os Deuses Astronautas?”: “Deus é algo superior que por falta de um nome melhor eu chamo de Deus”. Eu gosto desta definição.
Seria muito interessante que os esotéricos que normalmente escrevem neste periódico se manifestassem sobre o assunto. O editor deveria convocar a todos, indistintamente, para que se fizesse um debate sobre tão palpitante assunto o mais brevemente possível, a fim de que todos os leitores pudessem saber com mais detalhes o que está para acontecer em nosso planeta.
Uma coisa é certa: Deus jamais escreveu coisa alguma e jamais veio e falou com quem quer que seja. O assunto dos códigos da Bíblia deve ser estudado, discutido e debatido por todos os segmentos holísticos e esotéricos. Não podemos ficar calados ouvindo religiosos que se argúem  donos da verdade e que na realidade somente fazem “puxar a sardinha para a sua brasa”, sem nada explicar (também não entendem absolutamente nada), e ainda complicando o que é de fácil compreensão.
Quando a população despertar, quando os “pseudo-esotéricos” forem desmascarados, quando o “ser” for mais importante do que o “ter”, quando se criarem escolas verdadeiramente holísticas, escolas que visem unicamente o bem estar do ser humano e não o lucro financeiro, quando deixarmos de ser covardes e aproveitadores, quando descobrirmos a verdade pregada pelo Mestre e nos despojarmos de vaidades, arrogância, ódio e deixarmos a maledicência, então compreenderemos que existe muito mais entre o céu e a terra do que sonha a nossa vã filosofia. Compreenderemos que não basta ler e estudar quatro ou cinco mil livros; é necessário que saibamos definitivamente a verdade, e só assim conseguiremos salvar este belo e magnífico planeta dos aproveitadores ditos religiosos que só fizeram, deste os tempos imemoriais, roubar, destruir e matar aqueles que são contrários aos seus funestos propósitos. 
O “fim dos tempos” está aí; 2006 está chegando e muitas mudanças deverão acontecer em todo o mundo até o ano de 2012, onde tudo se consumará; quem viver, verá! E aí vamos ver o que dirão os pseudo-religiosos e os fazedores de terrorismo. Vamos ver o que eles dirão quando centenas ou milhares de naves alienígenas pousarem no nosso planeta à vista de todos. Alguns talvez dirão: “Estamos sendo invadidos pelo demônio”, ou antes, disso, alguns até dirão que eu sou o próprio. Eles sempre têm de falar alguma coisa de mim ou de alguns que tem a coragem de enfrentá-los e desmascará-los. Não estou nem ai.

 





Texto de: Prof. Carlos Rosa


Artigos Relacionados
:.
:.
:.
:.
Comentários